• APRESENTADO POR

    A Entire TP criou a primeira plataforma de e-commerce para o setor farma – e, de concorrente, virou parte da InterPlayers

    O empresário José Ricardo Ferreira, idealizador da Entire, conta como sua solução ajudou o varejo farmacêutico – e agora continua ajudando – a indústria a conectar-se melhor com os hospitais e clínicas de oncologia e vacinas.
    Cláudia de Castro Lima | 14 jan 2021

    Desde setembro último, quanto mais próximos os cientistas e laboratórios chegavam de uma vacina que mostrava ser eficaz contra a Covid-19, mais começávamos a ouvir sobre os desafios para distribuir o produto no país.

    A logística necessária para que todos os rincões do Brasil recebam produtos que precisam de transporte especial e refrigerado entrou recentemente nos debates em nossas casas. Não na do empresário José Ricardo Ferreira – lá, ela já é uma velha conhecida.

    Durante 14 anos como sócio-fundador da Entire Technology Partners, José Ricardo fez vários projetos com a indústria farmacêutica por meio das plataformas e-Trade e e-Supply, que sua empresa desenvolveu.

    Cliente da Entire TP, a GSK, por exemplo, precisava de uma solução de comércio eletrônico que garantisse a entrega precisa de seus produtos, especialmente de vacinas.

    “Tudo tem que estar bem orquestrado entre a plataforma, os distribuidores e as clínicas, porque vacinas são produtos que precisam de refrigeração e têm um custo alto – e os hospitais e clínicas não armazenam grandes quantidades”, conta ele.

    PIONEIRISMO NO E-COMMERCE B2B

    Idealizada por José Ricardo e dois sócios no fim do ano 2000, a Entire TP nasceu em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. Percebendo que a internet oferecia uma possibilidade imensa e com experiência em tecnologia, eles decidiram surfar a nova onda e criaram uma plataforma de compras online B2B.

    A solução que integrava a distribuição aos pontos de venda foi desenvolvida para a distribuidora Panarello, de produtos farmacêuticos – era a primeira plataforma de pedidos digitais para o setor do país.

    “Era um e-commerce B2B”, lembra ele. “Fomos a primeira empresa a montar algo assim para o setor. E as indústrias começaram a nos procurar por causa do case da Panarello.”

    Mesmo assim, convencer o mercado de que não havia problema em fazer pedidos por meio de um computador não foi tarefa fácil. “Tinha ainda muito folclore, achavam que a web não era segura. Nossos primeiros anos foram tempos difíceis”.

    PRIMEIRO EMPREENDIMENTO: SOLUCIONAR O BUG DO MILÊNIO

    José Ricardo Ferreira tem em seu currículo passagens por empresas como Nestlé e Villares, onde gerenciava projetos. Na Consist, empresa de consultoria e sistemas, virou gerente comercial e se encontrou. De lá, foi para a DTS, também de soluções em tecnologia, e assumiu a América Latina. Um ano e meio depois, desistiu por saudade da família.

    Em 1998, de volta à Ribeirão Preto, resolveu empreender. Começou um negócio para oferecer suporte para as empresas que precisavam corrigir ou adaptar os códigos de seus sistemas de computador por causa do chamado bug do milênio.

    Na época, para reduzir custos com memória, computadores, programas e microprocessadores tinham sistemas de apenas dois dígitos para representar datas. Dessa forma, 1997 era lido como 97. Na virada para 2000, ou 00, os documentos seriam lidos como de 1900 – provocando, assim, operações erradas ou sem sentido.

    Sua empresa ajudou muitos negócios a não terem problemas. Mas tinha, portanto, data para acabar. E, em 2000, ele empreendeu de novo – desta feita numa solução mais duradoura.

    PIONEIRISMO NO INTERIOR DE SÃO PAULO

    Para criar a Entire TP, José Ricardo queria aproveitar a oportunidade que via em sistemas para web e também a parceria que tinha com a empresa de software dos Estados Unidos, a Computer Associates.

    Sua companhia implementou vários projetos para a indústria, como transfer order, conectividade com distribuidoras e PDVs, visitação, agendamento de visitas, pedido direto para indústria, distribuição e grandes redes e estoque nos distribuidores, além de busca de PDVs via geolocalização e portais para farmácias.

    Em 2006, quando os sócios desistiram do negócio, José Ricardo fez uma reestruturação na Entire TP. Decidiu focar apenas nas duas soluções principais, a e-Trade e a e-Supply.

    A Entire cresceu e passou a ser reconhecida pela expertise no desenvolvimento de soluções de comércio eletrônico que atendiam à demanda do mercado corporativo.

    O e-Trade, a solução de vendas da companhia, representava 80% do core business da Entire. Além do setor farmacêutico, servia à indústria e ao setor automobilístico.

    O portal de relacionamento comercial oferecia gestão da compra e venda dos produtos em toda cadeia de fornecimento: indústria, distribuidor e ponto de venda.

    A plataforma transformou-se em uma das principais do mercado em soluções de demanda online e permitia à indústria/distribuição receber os pedidos de diversas maneiras, como web, EDI (troca eletrônica de dados) e dispositivo móvel – em um único sistema de gestão.

    “Nossos clientes eram empresas como Pfizer, Aché, Boehringer Ingelheim e Medley”, diz o empresário. “A Novartis, por exemplo, adotou nossa solução como sua plataforma de pedidos exclusiva”.

    DESENVOLVEDOR DA INTERPLAYERS

    José Ricardo aproximou-se da InterPlayers quando esta era uma empresa recém-nascida. “Nós fomos desenvolvedores para o Arnaldo no ano de 2006”, diz, mencionando Arnaldo Sá Filho, cofundador e presidente da companhia. “Nós sempre fomos mais direcionados para a tecnologia e a Interplayers, na época, era voltada mais para os negócios”.

    Em 2014, dando sequência à estratégia de se tornar um fornecedor completo de soluções, com produtos em toda a cadeia de negócios, a InterPlayers propôs comprar seu concorrente.

    “Eu já estava querendo fazer negócio”, diz o fundador da Entire. “Recebi na época três propostas de venda e uma de joint-venture. Mas eu achava que era preciso expandir ou tomar outros rumos, para profissionalizar mais ainda o negócio”.

    O empresário diz que, embora a área de tecnologia de sua empresa estivesse em ótimas condições, ele não estava satisfeito com a financeira. “A InterPlayers me fez uma proposta e me deu, entre todos os interessados, a resposta mais rápida, que era satisfatória. E fechei com eles”.

    Hoje, o hub de negócios usa duas soluções no atendimento da família comercial: a Pharmalink para o setor farmacêutico e a solução que veio da Entire para o setor de especialidades, como vacinas, oncologia, doenças raras, hospitais, clínicas e odontologia, entre outros.

    O empresário conta que a plataforma que sua empresa havia desenvolvido ficou ainda melhor depois da aquisição pela InterPlayers. “No fim de dois anos o que nós melhoramos a solução não está escrito”, diz ele. “Também ganhamos mais funcionalidades e, principalmente, ganhamos em efetividade, já que o valor intrínseco para o cliente é muito mais evidente e consolidado”.


    Confira Também: