• Como uma plataforma de conteúdo sobre psicologia virou um fenômeno digital – e se transformou em um hub de terapia online

    Henrique Santos de Souza, cofundador da Eurekka
    Lucas Baranyi | 21 jun 2021

    Três amigos estão por trás de uma gigante de terapia online do país, a Eurekka. Egressos da faculdade de psicologia da Unifersidade Federal do Rio Grande do Sul, Julio Frota, Luiz Rodrigues e Henrique Santos de Souza compartilhavam várias opiniões, mas uma delas é essencial para esta história: entendiam que psicologia deveria ser muito mais prática do que aquilo ensinado e visto na sociedade em geral. 

    “A gente via a psicologia sendo muito teórica, muito abstrata, mas olhava para fora, para o mundo, e via que ninguém sabia fazer coisas básicas de psicologia”, afirma Henrique. 

    “Por exemplo, ajudar alguém a passar por uma crise de pânico, saber como parar de procrastinar, saber como ter uma conversa difícil ou como identificar sintomas de depressão. As pessoas não sabiam fazer esse tipo de coisa.”

    Como furar a bolha? Para os três, o mundo digital foi o caminho. O mote era simples: explicar para leigos como resolver problemas práticos cujas ferramentas advinham da psicologia. 

    A Eurekka nasceu no fim de 2016 com a publicação de conteúdos sobre psicologia em uma linguagem simples. Detalhe: a empresa ainda nem tinha sede – o que só aconteceu alguns meses depois, em abril de 2017, com um investimento próprio dos psicólogos (e agora empreendedores), em torno de R$ 10 mil. 

    “A gente passou a produzir conteúdo, gráfico, vídeo, áudio, texto e alguns começaram a viralizar. As pessoas se interessaram muito”, relembra. Um vídeo sobre sinais de depressão e ansiedade e o infográfico “13 coisas importantes sobre suicídio”, em referência à série 13 Reasons Why foram alguns desses conteúdos que fizeram sucesso.

    “Vimos assim que nossa tese era verdadeira: as pessoas de fato não tinham acesso a esse conteúdo prático para resolver problemas concretos que a psicologia poderia resolver”, conclui. 

    O movimento fez com que a Eurekka se popularizasse e atraísse um público fiel, que passou a participar do dia a dia da plataforma, até criar uma comunidade própria. Comunidade, aliás, de respeito: mais de 600 mil seguidores, 30 milhões de visualizações e centenas de vídeos publicados. Um fenômeno digital.

    Era a deixa perfeita para um novo modelo modelo de negócios: passar a oferecer serviços e produtos para essas pessoas. 

    SISTEMA DE FRANQUIAS: A CRIAÇÃO DO HUB 

    “Somos especialistas em micropassos, micromissões e microvitórias”, afirma o site da Eurekka. A empresa, que começou oferecendo terapia online, expandiu seus serviços e hoje também traz consultas com psiquiatras e consultas médicas online com diversos especialistas de diferentes áreas. 

    São atualmente oito especialidades médicas: clínico geral, ginecologista, endocrinologista, otorrinolaringologista, neurologista, infectologista, pediatra e psiquiatra, além de nutricionista e personal trainer.

    Mas Henrique enxerga muito mais em seu negócio. “Estamos aqui para servir essa comunidade que foi se formando – e ela vai se expandindo conforme atingimos mais pessoas”, conta.

    A healthtech também foi disruptiva ao aplicar um modelo de franquias para psicólogos: o profissional torna-se um “terapeuta Eurekka” com o próprio consultório. Assim, a Eurekka tornou-se um “hub”, conectando e interligando os profissionais para que eles consigam atender pessoas.

    “A gente envia os pacientes para ele, damos supervisão, operamos toda a parte tributária e de agenda, além de dar treinamento”, diz Henrique. Existem, hoje, 40 franqueados distribuídos nos quatro cantos do Brasil.

    A alta demanda, porém, faz a Eurekka estimar que o futuro trará até 200 franquias no total, para possibilitar o atendimento de mais de 5 mil pacientes por semana.  

    A “NETFLIXZAÇÃO” DA TERAPIA

    No mundo do entretenimento, a TV a cabo perde lugar, a cada dia, para serviços de assinatura. Netflix, Disney+, Amazon Prime, Globoplay – as opções são várias, e crescem conforme o serviço se populariza.

    Um sistema similar funciona com a Eurekka – algo que, até então, não existia no Brasil. Para acessar a terapia, usuários podem assinar planos e tornarem-se membros da healthtech. Depois de passar por uma triagem inicial, o usuário pode escolher quatro tipos de consulta:

    ✓ Valor social em Porto Alegre: R$80 a R$100 por sessão
    ✓ Terapeuta formado: R$120 a R$150 por sessão
    ✓ Terapeuta experiente: R$180 a R$300 por sessão
    ✓ Fundadores: a consultar

    Os psicólogos indicados pela Eurekka são categorizados de acordo com o seu tempo de experiência com a própria empresa. “Um franqueado abre o seu consultório e vai ser avaliado não só porque já tem um doutorados ou algo do tipo, mas por quanto tempo ele está com  Eurekka”, explica Henrique.  

    “Quando ele entra na Eurekka, começa a cobrar o valor básico, que hoje é R$120 por sessão. E, conforme vai ganhando experiência com a gente, vai recebendo formação, supervisão, treinamento – e aumentando seu valor”, completa. 

    As sessões de valor social são realizadas pelos estagiários da Eurekka, na sede da própria empresa – há opção de consultas presenciais em algumas cidades. 

    INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NASCEU COM CHATBOT NO FACEBOOK

    A Eurekka foi pioneira na criação de um chatbot especializado na área. “Ela era um robô dentro do Facebook e chegou a ter 120, 130 mil contatos. Houve uma época, ali em 2018, em que o Facebook estava incentivando muito a criação de chatbots. Criamos esse robô através de uma interface”, explica Henrique.

    A I.A. funcionava pelo messenger do Facebook e ajudava as pessoas com toda sorte de coisas. “A se acalmarem em uma crise, a serem encaminhadas para o CVV (Centro de Valorização da Vida, que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio), explicava o que era ansiedade, fazia testes de autoconhecimento com as pessoas…”, relembra Henrique. 

    Algum tempo depois, o Facebook colocou restrições muito maiores na plataforma, a interface ficou mais limitada e a “robozinha” está indo morar dentro do aplicativo da Eurekka. 

    “Como ela é muito grande, muito complexa, a nossa equipe de programação está passando aos poucos para dentro de nossa solução, mas já dá para bater um papinho com ela dentro do aplicativo da Eurekka”, informa. 

    A Eurekka também está entrando com força no universo corporativo: um time inteiro da empresa está focado em fechar negócios nessa área. 

    Na leitura dos fundadores, cada vez mais companhias buscam resolver questões de bem-estar, estresse e saúde mental de seus fundadores. A healthtech, então, cairia como uma luva, quase que se transformando em uma (para usar outra analogia) “Gympass da terapia”. Nos dias de hoje, convenhamos: está longe de ser uma má ideia.

    Fique por dentro das melhores histórias de inovação em saúde: assine nossa newsletter.


    Confira Também: